Hoje é terça-feira
7 de julho de 2020

 

RTD Instalação e Manutenção

RTD Instalação e Manutenção

Geral

Um RTD é um sensor que muda a sua resistência quando muda a temperatura. A resistência aumenta à medida que a temperatura aumenta no sensor. A sua relação resistência vs temperatura é bem conhecida e é repetitiva ao longo do tempo. Um RTD é um dispositivo passivo. Ele não produz uma saída nele próprio. Dispositivos externos eletrônicos são usados ​​para medir a resistência do sensor onde geram uma pequena corrente elétrica que passando através do sensor gera uma tensão a qual é proporcional a resistência.

Tolerâncias padrão

RTDs são construídos para várias curvas padronizadas e tolerâncias. A curva padrão mais comum é a curva ‘DIN’. A curva descreve as características de resistência versus temperatura de um sensor de platina, 100 ohms, as suas tolerâncias e o intervalo de temperatura mensurável. A norma DIN especifica uma resistência de base de 100 ohms a 0 º C, e um coeficiente de temperatura de .0038500 ohms / ohms / º C. Os valores nominais de um sensor RTD DIN é mostrado abaixo:

Existem três classes de tolerância padrão para RTDs DIN. Estas tolerâncias são definidos como se segue:

DIN Classe A Tolerâncias de temperatura: ±(0,15 + 0,002 x | T | ° C)
DIN Classe B Tolerâncias de temperatura: ±(0,3 + 0,005 x | T | ° C)
DIN Classe C Tolerâncias de temperatura: ±(1,2 + 0,005 x | T | ° C)

Conexões do Sensor

As conexões dos sensores RTD estão disponíveis num certo número de configurações diferentes. A configuração mais comum é o único elemento, ligação à tres fios. Esquemas das configurações de ligação dos fios estão mostrados abaixo:

Ligação á dois fios são normalmente utilizados em aplicações onde a precisão não é crítica. A configuração a dois fios permite uma técnica mais simples de medição, mas sofre de uma imprecisão inerente devido à resistência dos condutores do sensor. Na configuração de dois fios, não há maneira de compensar a resistência dos cabos o qual irá causar um aumento errado na medição da resistência.

Ligação à três fios são feitas com um circuito de compensação para permitir a medição e compensar a resistência dos condutores. Com esta configuração, o dispositivo controlador / medidor faz duas medições. A primeira medição mede a resistência total, a resistência do sensor junto com os cabos de ligação. A segunda medição mede a resistência do circuito de compensação. Subtraindo a resistência do circuito de compensação da resistência total, a resistência final é a do sensor. Ligação à três fios são os mais comuns e é uma boa combinação de precisão e comodidade.

A configuração do sensor à quatro fios é uma técnica de medição que permite a medição da resistência do sensor sem a influência dos cabos de ligação. Embora essa técnica de a melhor precisão, muitos controladores industriais e dispositivos de medição não fazem medição á quatro fios.

A transição entre os cabos de ligação do sensor para a fiação de campo é tipicamente feito através de uma cabeça de ligação ligado ao sensor. Os blocos terminais são utilizados para facilitar a conexão. Um típico terminal de ligação bloco / sensor é mostrado na figura seguinte.

Garantir o desempenho preciso

Para garantir um bom desempenho do sensor, o sensor deve ter um bom contato térmico com o processo. Quando se utiliza um sensor em conjunto com uma bainha deve utilizar um composto de transferência de calor apropriado para preencher o espaço de ar entre o sensor e o furo do poço. Isto irá melhorar a transferência de calor entre o processo e o sensor, reduzindo o erro de condução do calor e melhorando o tempo de resposta do sensor. Para aplicações de temperatura moderada (inferior a 250 º C) um composto de silicone de transferência de calor é o mais utilizado. Aplicações de temperaturas mais altas exigirá um material a base de grafite. Uma maneira fácil de aplicar o composto de transferência de calor consiste em aplicar uma quantidade generosa na ponta da bainha e inserir o sensor dentro da bainha, pressionando o sensor firmemente dentro do bainha até que a ponta atinge o fundo do furo da bainha. O sensor de RTD deve ser isolado da bainha e de outros componentes metálicos. A verificação da resistência de isolamento do sensor é um teste simples que assegura a integridade do sensor. Medição da resistência é feita entre os cabos de ligação dos sensores e o revestimento de metal do sensor. A resistência deve ter pelo menos 100 megohms. Valores menores de resistência de isolamento podem ser uma indicação de que o sensor sofreu danos.

Todos os direitos reservados a Fensys Sensor Technology Ltda.
Desenvolvido por VGT Tecnologia divisão VGSites.